Resultados da busca

3686 resultados encontrados para ""

  • Projetos de asfaltamento de seis bairros em Vilhena estão em fase final

    Serão mais de R$ 45 milhões de investimento, com contrapartida de aproximadamente R$ 8 milhões da Prefeitura. Revista Imagem - Vilhena-RO |21/06/2021 - 17:03 A Prefeitura de Vilhena está providenciando as últimas etapas para realização do asfaltamento de seis bairros em Vilhena: Jardim Social, Alto dos Parecis, Jardim Universitário, Bela Vista, Cidade Nova e Barão do Melgaço 1. Juntos, os projetos devem representar investimento de mais de R$ 45 milhões, sendo cerca de R$ 8 milhões da Prefeitura de Vilhena e o restante através de programas de financiamento do Governo Federal. “Nos bairros Jardim Social, Jardim Universitário e Cidade Nova, faltam quatro etapas finais: conclusão da revisão dos valores nas planilhas da obra, aprovação do projeto e contrato na Caixa Econômica com os valores revisados, liberação dessas alterações na Câmara de Vereadores e, então, licitação. Cada etapa dessa deve consumir alguns dias, assim, em algumas semanas queremos estar publicando a licitação”, comenta o prefeito Eduardo Japonês. Neste projeto são previstos 15,5 km de asfaltamento com drenagem, calçadas e sinalização. O orçamento total, que passa por revisão atualmente, pode se aproximar de R$ 24 milhões, sendo quase R$ 4 milhões de contrapartida da Prefeitura de Vilhena e o restante através do Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento), da Caixa Econômica Federal. Já a pavimentação dos bairros Alto dos Parecis, Bela Vista e Barão do Melgaço 1 compreende 17,2 km e já tem valor disponibilizado definido: são R$ 23.928.522,34 no total, sendo R$ 4.776.627,51 de contrapartida do município. Os quase R$ 19 milhões de recursos federais no projeto são do programa Avançar Cidades, da Caixa Econômica Federal. O próximo passo do projeto, de acordo com a Secretaria Municipal de Planejamento, é a licitação. “Isso deve acontecer nos próximos dias e daremos ampla publicidade, além de transmitir ao vivo pela internet, conforme sempre fizemos desde o início da gestão, dando transparência à contratação de serviços assim na Prefeitura. Pedido antigo dos moradores e promessa desde 2019, esta obra vai transformar toda a região”, explica a secretária municipal de Planejamento, Sueli Magalhães. MAIS PROJETOS Há ainda outros projetos de asfaltamento que avançam na cidade. O Embratel, com investimento de R$ 1 milhão, recebe quase dois quilômetros de pavimentação. As obras já começaram com a terraplanagem. No Cristo Rei foi assinado recentemente convênio de R$ 2,5 milhões para pavimentação de 1,6 km de ruas e avenidas próximas ao posto de saúde do bairro. O programa “Tchau Poeira”, do Governo do Estado, prevê também 7,6 km de pavimentação na cidade nos bairros Cristo Rei e do Setor 17. O projeto também inclui o recapeamento das avenidas Presidente Nasser, Tancredo Neves e Paraná. Há ainda mais iniciativas de pavimentação que devem ser concretizadas em breve, como trechos do Setor 17 em complemento ao programa “Tchau Poeira”, além da avenida Lírio do Vale, no trecho entre a avenida Benno Luiz Graebin e Linha 135. Por Revista Imagem | Fonte: Semcom PMV

  • Trabalho infantil atingiu 1,8 milhão de pessoas em 2019, mostra estudo

    Número caiu em relação a 2018, quando total chegou a 2,2 milhões. Revista Imagem - Vilhena-RO |21/06/2021 - 16:59 Um levantamento feito pelo Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI) mostrou que em 2019 havia 1,8 milhão de crianças e adolescentes em trabalho infantil, número 4,8% menor do que no ano de 2018. Desse total, 704 mil (38,4%) exerciam algumas das piores formas de trabalho infantil. Os dados do estudo O Trabalho Infantil no Brasil: Análise dos Microdados da PnadC 2019, divulgados hoje (21) pelo FNPETI, mostram que 1,206 milhão eram meninos e 626 mil, meninas e que 1,202 milhão eram negros e 630 mil, eram brancos. Em um recorte pela faixa etária, os dados indicam que a maioria tinha 16 e 17 anos, 448 tinham 14 e 15 anos, e 285 tinham de 10 a 13 anos. As regiões do país onde mais havia crianças e adolescentes trabalhando foi o Sudeste, seguido do Nordeste, Sul, Norte e Centro-Oeste. Do total de crianças e adolescentes em trabalho infantil em 2019, 866 mil não eram remunerados ou trabalhavam para consumo próprio. Entre as principais ocupações (o que é feito no trabalho) aparecem os balconistas (6%), trabalhadores rurais (4,9%), escriturários (4,9%), cuidadores de crianças (3,8%), trabalhadores qualificados da agricultura (3,5%) e demais ocupações (76,7%). A maioria (734 mil) era empregada sem carteira assinada. Com relação à atividade do estabelecimento onde trabalham 5,5% são comércios de alimentos, bebidas e fumo, 5,2% são restaurantes, 5,1% serviços domésticos, 4,9% criação de bovinos, 4,6% manufaturamento e reparo de veículos e 74,8% em demais atividades. Segundo o levantamento, 807 mil eram empregados em estabelecimentos de serviços e 507 mil em estabelecimentos de agricultura. "Se esse problema não for resolvido, o Brasil não vai ser considerado um país desenvolvido. Como a causa principal do trabalho infantil é a pobreza e o Brasil é um país de extrema desigualdade, com muitas pessoas pobres, significa que existe um alto contingente populacional em situação vulnerável economicamente, socialmente, culturalmente e educacionalmente. Também quer dizer que o Estado brasileiro não consegue cumprir todas as suas obrigações como estão estipuladas na Constituição", disse o economista Claudio Fernandes. Na avaliação dele, se o país não cuida das crianças, elas se transformarão em adultos que não conseguirão cuidar de si nem do país. Fernandes ressaltou ainda que essa situação mostra desintegração do núcleo primário da sociedade: a família. "A família necessita que suas crianças trabalhem em alguns casos. Em outros, as crianças resolvem sair para conseguir sua independência porque participam de uma situação de vulnerabilidade, de violência, abuso. Em outras famílias elas são parte do processo de trabalho por conta da necessidade da família em aferir maior renda". Fernandes disse anda que o trabalho infantil está atrelado a um problema estrutural do país, a pobreza, para o qual há certa leniência e normalização por parte da sociedade com relação à extrema desigualdade. "Isso passa pelo aspecto político que é muito forte, e o privilégio de determinadas classes e setores econômicos. Quando se privilegia alguns, automaticamente se desprivilegia outros e aumenta essa desigualdade no país. A pobreza no Brasil é muito oriunda desses privilégios da classe mais abastada e de maior poder econômico". Afazeres e cuidados domésticos Segundo o estudo, do total de crianças e adolescentes brasileiros, que em 2019 era cerca de 38 milhões na faixa etária de 5 a 17 anos, pelo menos 51,8% (19,8 milhões) exerciam afazeres e cuidados domésticos. Em média 7,7 horas da semana eram ocupadas pelos cuidados domésticos. Aquelas em trabalho infantil doméstico dedicaram 18,3 horas por semana a esse tipo de ocupação. Em ambas as atividades o total foi de 27,2 horas semanais. Isso significa que as crianças e adolescentes trabalhadoras podem ter quase 50% do dia comprometido com trabalho e afazeres "Qualquer atividade que seja imputada às crianças e adolescentes nesse estágio vai concorrer com as outras atividades, principalmente com aquelas dedicadas à formação. Esses trabalhos também oferecem uma série de riscos, tanto de doenças e acidentes, quanto trazem dificuldades adicionais à formação. Para poder ir à escola é preciso se deslocar e isso leva tempo, por isso um dos maiores agravantes é o quanto se gasta com essas atividades, que podem comprometer até 50% do seu dia", analisou o economista coordenador da pesquisa, Guilherme Silva Araújo. Combate Em entrevista à Agência Brasil por ocasião do Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, celebrado em 12 de junho, o secretário nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente Mauricio Cunha disse que o Brasil assumiu o compromisso na ONU de erradicar o trabalho infantil até 2025. Para cumprir essa meta, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH) tem atuado no fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos como conselhos tutelares e na capacitação dos profissionais que atuam nessa área como professores, assistentes sociais e gestores públicos e de organizações sociais. Denúncias Qualquer pessoa pode denunciar vítimas do abuso infantil pelo Disque 100 que conta agora com números no WhatsApp e Telegram (basta apenas digitar “Direitoshumanosbrasilbot” no aplicativo). Além desses canais, até o fim do mês de julho, um novo aplicativo, com linguagem voltada especificamente para as crianças deverá ser lançado. Por Revista Imagem | Texto: Flávia Albuquerque

  • MP move ação de improbidade contra investigados na Operação Reciclagem

    Ex-prefeita de São Francisco do Guaporé, Gislaine Lebrinha, e o seu pai, o deputado estadual José Lebrão são alvos na ação. Revista Imagem - Vilhena-RO |21/06/2021 - 16:45 O Ministério Público de Rondônia ajuizou Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa contra o deputado estadual José Eurípedes Clemente (MDB), conhecido como Lebrão, e contra sua filha, Gislaine Clemente (MDB), a Lebrinha, ex-prefeita do Município de São Francisco do Guaporé, em decorrência de participação em esquema apurado no âmbito da Operação Reciclagem. A ação foi proposta pela Promotoria de Justiça de São Francisco do Guaporé, como desdobramento da operação, que investigou a ação de prefeitos e outros agentes políticos dos Municípios de Rolim de Moura, Cacoal, Ji-Paraná e São Francisco, os quais, em razão do exercício do cargo, exigiam vantagem pecuniária indevida para influir na liberação de pagamentos devidos às empresas contratadas para prestação de serviços de coleta e tratamento de resíduos sólidos nessas cidades. Conforme relata o MP, em agosto de 2019, o empresário Fausto de Oliveira, representante da empresa MFM Soluções Ambientais e Gestão de Resíduos Sólidos e RLP- Rondônia Limpeza Pública e Serviços de Coleta de Resíduos LTDA, procurou a Polícia Federal para denunciar que estava sendo vítima da exigência de pagamentos de ‘propina’ em troca de regularidade em repasses contratuais mensais devidos às empresas. O caso foi investigado, tendo sido revelada, por meio de ações controladas da Polícia, a atuação de diversos atores políticos na reiterada prática do crime de concussão. Os prefeitos, de acordo com o apurado, utilizavam-se do mesmo modus operandi para exigir os pagamentos. Na véspera ou logo após a realização dos repasses às Empresas MFM e RPL pelos municípios contratantes, os respectivos gestores faziam contato com Fausto Oliveira cobrando o valor mensal exigido. Inclusive, tal prática possibilitou que o colaborador informasse previamente às autoridades sobre onde e como ocorreria o pagamento dos valores exigidos, para fins de registro por meio de ação controlada. Conduta Com relação à conduta do parlamentar e da ex-prefeita no esquema, o Ministério Público de Rondônia relata que os requeridos exigiram o pagamento do montante de R$ 2 milhões, diluídos em 20 parcelas de R$ 100 mil cada, para, em troca, manter caducidade do contrato de concessão do serviço público para implantação e operação de aterros sanitários, relativo ao Processo Administrativo n. 010/CIMCERO/CEL/2010. O ato havia sido declarado pela então prefeita, que, à época, exercia o cargo de presidente do Consórcio Público Intermunicipal da Região Centro-Leste do Estado de Rondônia – CIMCERO, e interessaria diretamente aos negócios de Fausto de Oliveira. Segundo detalha o MP, a negociação com o empresário foi coordenada pelo próprio parlamentar. Parte dos valores chegou a ser paga em parcelas de 40 mil, em três ocasiões distintas, totalizando o montante de R$ 120 mil. A origem e localização do dinheiro proveniente do crime de concussão foram ocultados pela requerida. Liminar Na ação, o Ministério Público requer que seja concedida a liminar para determinar a indisponibilidade de bens, na forma do artigo 7º da Lei 8429/92, tanto da ex-prefeita, quanto de seu pai, parlamentar em exercício na atual legislatura, no montante de até R$480 mil. Também pede que a ação seja julgada procedente, sendo os requeridos condenados pela prática de improbidade administrativa, nos termos dos artigos 9, I, da Lei de Improbidade Administrativa (receber, para si ou para outrem, dinheiro, bem móvel ou imóvel, ou qualquer outra vantagem econômica, direta ou indireta, a título de comissão, percentagem, gratificação ou presente de quem tenha interesse, direto ou indireto, que possa ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público). O MP pleiteia a aplicação de sanções previstas no artigo 12, inciso I, da mesma norma, dentre as quais, a perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, ressarcimento integral do dano, quando houver, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos, pagamento de multa civil de até três vezes o valor do acréscimo patrimonial e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de dez anos. Por Revista Imagem | Fonte: MPRO

  • Cirurgias e consultas eletivas serão retomadas gradativamente em Rondônia

    Plano de retomada será apresentado em 30 dias pela secretaria estadual de Saúde. Revista Imagem - Vilhena-RO |21/06/2021 - 16:05 O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), após a publicação do Decreto nº 26.134, de 17 de junho de 2021, que determina a criação de normativas de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus conforme a realidade de cada município do Estado, prepara um plano de retomada gradual, seguro e programado de cirurgias e consultas eletivas no Estado. No decreto, fica permitido o retorno imediato das cirurgias eletivas que não necessitem de reserva de leito de UTI para o pós-operatório, procedimentos que não utilizem anestesia geral ou materiais e medicamentos inclusos no “kit intubação”, sendo o retorno das demais cirurgias condicionado à apresentação em 30 dias do plano estadual de retomada, que obedecerá os critérios de regulação do Sistema Único de Saúde (SUS). A diretora-geral do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro, Raquel Gil, argumenta que antes da publicação do novo decreto, já havia um trabalho sendo feito, com possibilidade de retorno da retomada das cirurgias eletivas, tendo como base a redução dos casos de covid-19 no Estado. Em Rondônia, além do Hospital de Base, o Hospital de Urgência e Emergência Regional de Cacoal (Heuro), também possui centro cirúrgico para a realização de procedimentos em pacientes. “Além do plano, também vínhamos trabalhando na atualização de filas, entrando em contato com pacientes para saber se fez a cirurgia. Mesmo durante essa pandemia, não deixamos de trabalhar neste sentido, reorganizando a fila de pacientes”, explica. Raquel ressalta que como parte do plano de retomada no decreto será trabalhada as cirurgias de hospital-dia, onde não será necessitado o paciente ficar em leito de UTI. “O paciente irá realizar os riscos cirúrgicos junto à Policlínica Osvaldo Cruz (POC), depois passar por consulta pré-anestésica e por fim, organizar a data para disponibilizar um leito de internação para as primeiras cirurgias”, pontuou. A diretora ainda lembra que mesmo com a retomada das cirurgias eletivas, o Hospital de Base é retaguarda do Hospital João Paulo II e de outras unidades do Estado em outros aspectos, tais como ortopedia, cirurgias gerais e urgentes. “Os eletivos serão contemplados, buscando com maior celeridade aos procedimentos, ofertando mais dias de atendimento aos pacientes, conforme a capacidade do hospital”, afirmou. O secretário de Estado da Saúde, Fernando Máximo, ressalta que as filas de espera de cirurgias estão grandes, ainda mais neste momento pandêmico pelo novo coronavírus. “Na rede pública estamos dando início com alguns procedimentos e dentro desse plano estadual de retomada das cirurgias eletivas, vamos gradativamente evoluindo na quantidade e complexidade dos procedimentos, para em menor tempo possível, estarmos com todos sendo realizados pelo SUS”, finalizou. Por Revista Imagem | Texto: Richard Neves

  • Idep abre vagas para contratação de instrutores em Rondônia

    As vagas são para moradores das cidades de Vilhena, Ariquemes, Candeias do Jamari, Pimenta Bueno e Porto Velho. Revista Imagem - Vilhena-RO |21/06/2021 - 16:40 O Instituto Estadual de Desenvolvimento da Educação Profissional (Idep) abre vagas na próxima quinta-feira (24), e segue até o dia 2 de julho, para profissionais de nível superior ou médio para preencher as vagas de instrutores para os cursos técnicos, nos eixos tecnológicos de: Ambiente e saúde, Produção alimentícia, Infraestrutura e Controle e Processos Industriais. Os instrutores ministrarão conteúdo nos cursos de Técnico de Imagem Pessoal, Técnico em Panificação e Confeitaria, Técnico em Manutenção de Máquinas Pesadas, Técnico em Processamento de Pescado e Operador de Drones. O profissional vai atuar no Instituto como instrutor de cursos técnicos e as vagas são para moradores das cidades de Ariquemes, Candeias do Jamari, Pimenta Bueno, Porto Velho e Vilhena. As inscrições podem ser feitas no endereço http://www.rondonia.ro.gov.br/idep/. Segundo a presidente, Adir Josefa de Oliveira, “a expectativa do Idep é iniciar a contratação ainda no mês de agosto de 2021. Os instrutores podem ministrar mais de um conteúdo”, explica. Os cursos de formação técnica escolhidos obedeceram uma base de diagnóstico feito em todas as regiões do Estado. “O Governo tem feito grandes investimentos na educação profissional. A contratação desses profissionais é mais um passo nesse projeto que visa oferecer a interiorização da educação profissional com tecnologia de ponta em laboratórios completos”, completa Adir. Por Revista Imagem | Texto: Marina Espíndola

  • DER finaliza serviços de manutenção asfáltica na RO-391, em Chupinguaia

    Manutenção aconteceu nos 50 km da rodovia e no perímetro urbano do município. Revista Imagem - Vilhena-RO |21/06/2021 - 14:05 O Governo de Rondônia, por meio do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER) finalizou os serviços de manutenção asfáltica (tapa-buracos) nos 50 quilômetros de extensão da rodovia 391, também conhecida por José Ataíde da Silva, que interliga o município de Chupinguaia à BR-364. Os serviços foram executados pela equipe da 9ª Residência Regional do DER em Vilhena. Para o diretor-geral do DER, Elias Rezende, as manutenções nas rodovias pavimentadas atendem às diretrizes do Governo do Estado que, por sua vez, está empenhado em melhorar a malha viária. “Nossas rodovias são os corredores do escoamento da produção agropecuária. O governador Marcos Rocha entende e tem a preocupação de melhorar a trafegabilidade. Nossas estradas são as molas propulsoras da economia rondoniense. A massa asfáltica usada nessa manutenção é da 4ª usina de asfalto do DER em Rolim de Moura”, enfatizou. De acordo com o residente da 9ª Regional do DER de Vilhena, Rogério Henrique de Medeiros, os buracos e os famosos “borrachudos”, receberam a fresagem removendo as imperfeições, aplicação da emulsão asfáltica tipo RR e logo após a aplicação da massa asfáltica de Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ). “Os serviços seguiram por toda a extensão da rodovia nos 50 km e também no perímetro urbano. A direção tem cobrado diariamente que os serviços sejam realizados com qualidade e economia, seguindo o planejamento anual de trabalho do DER”, finalizou. Por Revista Imagem | Texto: Ricardo Barros

  • Produtores rurais de Cerejeiras conseguem Recuperação Judicial de quase R$ 5 mi

    Eles alegam dificuldades financeiras que ocorreram devido às frustrações nas safras de 2018 e 2019, motivadas pelas mudanças climáticas. Revista Imagem - Vilhena-RO |21/06/2021 - 13:15 Os produtores rurais Valdormiro Redemski e Vagner Luis Redemski conseguiram, em junho, o deferimento do pedido de recuperação judicial no montante de R$ 4.850.868,00. A decisão foi acatada pelo juiz Artur Augusto Leite Júnior, da vara de Cerejeiras (RO). Na ação, eles alegam dificuldades financeiras que ocorreram devido às frustrações nas safras de 2018 e 2019, motivadas pelas mudanças climáticas, das quais resultaram em situações adversas tanto para safra como para safrinha, resultando em grãos avariados, bem como atraso no plantio. “No ano de 2020 novamente ocorreu efeito climático ocasionando reações no plantio e avaria nos grãos. Por conta das narradas situações, houve a necessidade de muitos replantios, o que aumentou demasiadamente os custos da produção, ocasião que buscaram financiamento bancários para aquisição de insumos, causando-lhes endividamento perante as instituições financeiras, que chegaram a limite insustentável. Afirmaram que diante das restrições que impediam os requerentes, efetuaram novos financiamentos para equilibrar tamanha dívida”, diz em outro trecho da decisão. Também afirmaram que, diante da alta do dólar, sofreram com o aumento dos custos de produção da safra 2020/2021, e estão tentando de todas as formas se estabilizar, reduzir custos, despesas, contudo, mesmo assim o lucro não é suficiente para manter resultados, impossibilitando assim de cumprirem com seus compromissos. De acordo com advogado Marco Aurélio Mestre Medeiros que defende os interesses do produtor rural, e especialista em recuperação judicial: “a medida é um instrumento utilizado para reestruturação de passivo, de forma organizada para superar a crise econômica- financeira momentânea e posterior. O plano de recuperação judicial tem como base a capacidade atual do cliente para quitar as dívidas”. Com a decisão, por 180 dias estão suspensas todas as ações e execuções contra os requerentes, bem como a suspensão de quaisquer atos de constrição, arresto, penhora, sequestro, busca e apreensão e retenção eventualmente requerida por credores em desfavor dos produtores rurais. Em breve, Valdormiro Redemski e Vagner Luis Redemski devem apresentar o plano de pagamento aos credores. Por Revista Imagem | Texto: Stephanie Romero

  • Prefeitura conclui Revisão do Código de Obras e Lei do Zoneamento de Vilhena

    Estudos começaram em 2018 e foram concluídos na última semana, com apresentação marcada para o dia 23. Revista Imagem - Vilhena-RO |21/06/2021 - 12:15 Concluídas na semana passada, as revisões da Prefeitura de Vilhena no Código de Obras e na Lei de Zoneamento tiveram sua data de apresentação marcada para esta quarta-feira, 23 de junho, na Câmara Municipal de Vereadores. Fruto de estudos realizados desde 2018, o trabalho revisou mais de 100 leis municipais e vai desburocratizar a construção civil no município, permitindo emissão mais rápida do habite-se e alvarás, além de regularizar áreas de ocupação e promover o desenvolvimento de diversos setores da cidade. “Por determinação do prefeito Eduardo Japonês, a regularização fundiária da cidade é uma de nossas prioridades na Semter. Na semana passada marcamos com a Câmara a apresentação do trabalho. Foi um processo longo que agora, da nossa parte, está finalizado. A nova Lei de Zoneamento, por exemplo, vem para substituir mais de 100 leis municipais que individualmente tratavam de cada novo bairro ou setor que surgiu na cidade. A organização disso tudo em um documento atualizado, regularizado e que atendesse às demandas dos moradores e empresários exigiu muitos esforços da equipe técnica”, explica Vivian Bacaro, advogada e secretária municipal de Terras. Jader Volpi, arquiteto da Secretaria Municipal de Terras (Semter), explica que todos os setores foram ouvidos. “Para conseguir um trabalho participativo, fizemos várias reuniões com Ministério Público, vereadores, empresários, associação comercial, universidades, professores e especialistas. Fizemos análises técnicas em cima das necessidades e hoje podemos apresentar os novos códigos de obras e de zoneamento”, explica Jader. No segundo semestre de 2020 a Semter criou a Comissão Urbanística, que evoluiu para o Núcleo de Desenvolvimento Urbano de Vilhena, formado por arquitetos, engenheiros e desenhistas da Prefeitura de Vilhena. Este, junto da Semplan, fez a revisão com base nos estudos já realizados pelo escritório de arquitetura e urbanismo Jaime Lerner, no projeto “Vilhena para o Futuro”, contratado pela Prefeitura para também subsidiar o novo Plano Diretor, atualmente em elaboração. “Nós nos sensibilizamos com os problemas que lidamos diariamente no nosso setor de trabalho. Por isso, nos debruçamos minuciosamente em um trabalho de uma lei modernizadora, que desburocratiza o serviço e mantém as garantias do município do controle do desenvolvimento urbano com qualidade”, conta Lucas Veronese, arquiteto da Semter. AVANÇOS Vivian elenca os principais benefícios que o trabalho trará. “É uma inovação que vai reduzir a burocracia para início de obras e que vai possibilitar um acesso mais rápido ao habite-se e ao alvará. Hoje temos empresas que estão aguardando isso para começar a funcionar e muitos chacareiros também que precisam ter acesso a linhas de financiamento que poderão regularizar seus imóveis. Também vai ordenar o crescimento da cidade, evitando que zonas impróprias sejam habitadas, bem como dar mais autonomia para o setor da construção civil fazer nosso município crescer, com liberdade e sem amarras documentais”, explica a secretária. Por Revista Imagem | Fonte Semcom PMV

  • Vilhena teve 6 óbitos por covid-19 neste final de semana

    Forma 2 mortes no sábado e 4 mortes no domingo. Vítimas tinha entre 44 e 70 anos. Revista Imagem - Vilhena-RO |21/06/2021 - 07:24 Vilhena registrou 6 mortes por covid-19 neste fim de semana. Município recebeu a confirmação de apenas 2 novos casos da doença. Os óbitos registrados no sábado (19) pela prefeitura foram de dois pacientes do sexo masculino, moradores de Vilhena, de 44 e 57 anos. Já no domingo (20) a prefeitura registrou a morte de 4 mulheres, de 48, 54, 60 e 70 anos, todas moradoras de Vilhena. Desde o início da pandemia em Vilhena em 5/4/2020, o município registrou 332 vítimas fatais da doença - 238 vítimas eram moradoras de Vilhena e 94 moravam em outros municípios. Já o total de pessoas infectadas é de 12.934 casos. Segundo o Boletim Diário da Prefeitura de Vilhena, existem 622 casos ativos, de pessoas que ainda podem transmitir o vírus para outros. O número de pacientes recuperados é de 12.073 pessoas. O município vacinou 21.700 pessoas contra o coronavírus com a primeira dose e 8.847 pessoas com a segunda dose da vacina. Até a noite de ontem, 33 pacientes estavam internados em isolamento na Central de Atendimento à Covid-19 e Hospital Regional de Vilhena, sendo 30 moradores de Vilhena. Destes, 15 estavam na UTI, sendo 11 intubados. As taxas de ocupação de leitos para covid-19 em Vilhena eram de 75% na UTI e 75% nas Enfermarias. Rondônia Em todo o estado o total de óbitos desde o início da pandemia é de 6.030 mortes. Já o número total de infectados pelo coronavírus é de 243.156 pessoas. Ontem Rondônia registrou 3 óbitos e 340 novos casos. Por Revista Imagem | Texto: José Antonio Sant'Ana

  • Proibição do plantio de soja sobre soja preocupa produtores em Rondônia

    A Aprosoja RO pede que seja revista a proibição do plantio prevista dentro do Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja. Revista Imagem - Vilhena-RO |19/06/2021 - 11:15 A Aprosoja-RO solicitou ao ministério da Agricultura (Mapa) tratamento isonômico dentro do Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja. A entidade reivindica o direto de efetuar o plantio da soja sobre soja no estado, algo que é vedado pelo programa do Mapa. Em comunicado, a entidade afirma que a proibição gera apreensão entre os produtores e também coloca em risco a economia de Rondônia. “A abrupta vedação ao plantio de soja sobre soja compromete as áreas que hoje produzem soja safrinha em virtude de não terem uma segunda cultura bem desenvolvida, impõe prejuízos imediatos aos produtores que já adquiriram insumos para a próxima safra”, diz o comunicado. No documento, a entidade ressalta que o vazio sanitário, juntamente com a rotação de culturas, são estratégias mais indicadas para combater a ferrugem asiática. Por outro lado, a entidade pondera que “no início do desenvolvimento da cultura em outros estados e regiões a realização de duas safras consecutivas da mesma foi a tática mais exitosa para a sua viabilização econômica”. A Aprosoja-RO diz esperar a intervenção do governador para iniciar as negociações com o Mapa sobre o assunto de forma urgente. Confira o documento na íntegra abaixo: Por Revista Imagem | Fonte: Canal Rural

  • Produtores Rurais de Cerejeiras conseguem primeira Recuperação Judicial do município

    Alternativas para evitar a falência do negócio foi uma das alternativas encontradas por um casal de agricultores do sul de Rondônia. Revista Imagem - Vilhena-RO |19/06/2021 - 10:49 Centro comercial de Cerejeiras, no interior de Rondônia A crise ocasionada pelo Coronavírus impactou pequenos produtores rurais, que tiveram dificuldades com o escoamento ou a comercialização dos produtos agrícolas. Por isso, a recuperação judicial é uma das alternativas para evitar a falência do negócio, e foi uma das alternativas encontradas por um casal de agricultores, que por meio dos advogados do escritório Mestre Medeiros, conseguiram o deferimento do pedido de recuperação judicial, em Rondônia, no município de Cerejeiras, pelo juiz, Artur Augusto Leite Júnior. A decisão foi divulgada, em maio. De acordo com o advogado Marco Aurélio Mestre Medeiros, “os produtores rurais, que atuam como pessoa física, podem desde janeiro deste ano recorrer à Lei nº 14.112, de 24 de dezembro de 2020, que acarretou a alteração da Lei 11.101/3005, para requerer recuperação judicial, o que era restrito aos produtores com registro na Junta Comercial por um período inferior a 02 anos”. Livia Queiroz, advogada que também atua no caso, explica que, “a comprovação é feita pela apresentação do Livro Caixa Digital do Produtor Rural (LCDPF) ou obrigação legal de registros contábeis que venha a subsistir o LCDPF, a Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (DIRPF) e o balanço patrimonial”. “A recuperação serve para solucionar o endividamento, e também para equacionar uma série de passivos, de forma que reestruture a atividade como um todo”, explica Marco Aurélio Mestre Medeiros. Por Revista Imagem | Texto: Stephanie Romero

  • Vilhena registra 1 óbito e 57 novos casos de covid-19 nesta sexta-feira

    Desde o início da pandemia 232 vilhenenses morreram pela doença, e 12.932 casos foram registrados. Revista Imagem - Vilhena-RO |19/06/2021 - 07:50 Vilhena registrou 1 morte por covid-19 nesta quinta-feira (18) e 57 novos casos de covid-19 nesta sexta-feira (18). O óbito registrado foi de Ionay da Luz, técnico do Barcelona de Vilhena. Ele tinha 59 anos. Desde o início da pandemia em Vilhena em 5/4/2020, o município registrou 326 vítimas fatais da doença - 232 vítimas eram moradoras de Vilhena e 94 moravam em outros municípios. Já o total de pessoas infectadas é de 12.932 casos. Segundo o Boletim Diário da Prefeitura de Vilhena, existem 622 casos ativos, de pessoas que ainda podem transmitir o vírus para outros. O número de pacientes recuperados é de 12.073 pessoas. O município vacinou 21.700 pessoas contra o coronavírus com a primeira dose e 8.847 pessoas com a segunda dose da vacina. Até a noite de ontem, 34 pacientes estavam internados em isolamento na Central de Atendimento à Covid-19 e Hospital Regional de Vilhena, sendo 29 moradores de Vilhena. Destes, 20 estavam na UTI, sendo 14 intubados. As taxas de ocupação de leitos para covid-19 em Vilhena eram de 100% na UTI e 58% nas Enfermarias. Rondônia Em todo o estado o total de óbitos desde o início da pandemia é de 6.018 mortes. Já o número total de infectados pelo coronavírus é de 242.539 pessoas. Ontem Rondônia registrou 17 óbitos e 962 novos casos. Por Revista Imagem | Texto: José Antonio Sant'Ana

  • Técnico do Barcelona de Vilhena, Ionay da Luz morre em decorrência da Covid-19

    O treinador que já foi campeão com o VEC estava internado com a doença e precisou ser intubado na semana passada. Revista Imagem - Vilhena-RO |17/06/2021 - 19:13 Aos 59 anos, Ionay da Luz morreu em decorrência da Covid-19. A confirmação veio através da secretaria de comunicação de Vilhena. Ele estava internado na cidade desde dia 07 de junho. No dia 11, foi intubado na UTI Covid em Vilhena. E, nessa sexta-feira (18) não resistiu a doença. Ionay foi responsável pelo Barcelona na temporada 2021. E, ele iria comandar o sub 20 do clube no estadual. Em 2005, comandou o Vilhena Esporte Clube (VEC) quando o time ganhou seu primeiro campeonato estadual em Rondônia. Ionay já levantou o título de campeão quatro vezes, estando a frente do CFA em 2002, do União Cacoalense em 2004, do VEC em 2005 e do Rondoniense em 2016. Além disso, também conquistou títulos enquanto comandava um time do Mato Grosso do Sul. Recentemente, esteve no Vilhenense. O preparador de goleiros Elias Santana foi campeão Estadual de Rondônia em 2016, com Ionay da Luz. Uma conquista invicta e de muitos aprendizados. Santana diz se sentir honrado em ter feito parte da comissão técnica de Ionay da Luz, num ano de conquista invicta. O goleiro titular do Rondoniense era Dida e o Elias Santana o treinador de goleiros. "A sexta-feira, 18 de Junho de 2021 começou de forma triste para mim. Recebi a notícia da morte de Ionay da Luz. Uma grande pessoas e excelente profissional do nosso futebol. Foi um cara que fez parte da minha carreira como treinador. Aprende muito com ele, que era pra mim um grande pai, mas infelizmente não é do jeito que a gente quer. Que Deus o ponha em bom lugar", disse Elias Santana. O ex-jogador Jeferson Lopes, o Belo, atacante do VEC na Copa São Paulo de 2006, sob o comando do treinador Ionay da Luz também falou da importância do treinador para o futebol de Rondônia. "Lembro muito das brincadeiras dele, e dos conselhos. Nos ensinou bastante. Foi um pai pra mim e para todos nós jogadores", revela o ex-jogador Belo, que é de Porto Velho. Ionay da Luz era rápido quando o assunto era brindar os jogadores em momentos mais difíceis: “As derrotas são minhas e as vitórias são deles”, frase de Ionay da Luz ao se referir aos jogadores nos clubes por onde passava. A lembrança que fica para os jogadores e aqueles com conviveram de perto com o bom baiano, Ionay da Luz é de fato de alegria e descontração quando não estava nos treinos. Muito bom de resenha o seu Da Luz! Capaz de soltar frases que ficaram marcadas para sempre na memória dos jogadores. “Jacaré que dorme vira bolsa de madame!” e "camarão que cochila a onda leva”, Ionay da Luz. Por Revista Imagem | Fonte GE

  • Vacinação de covid evita 43 mil mortes de idosos em 13 semanas no país

    Dados são da UFPel em parceria com Harvard e Ministério da Saúde. Revista Imagem - Vilhena-RO |17/06/2021 - 18:49 Pesquisa da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) estimou que o avanço da vacinação contra a covid-19 é responsável pela prevenção de mais de 40 mil mortes de idosos em um intervalo de treze semanas no Brasil. Os dados, divulgados nesta quinta-feira (17), são de levantamento realizado pelo Centro de Pesquisas Epidemiológicas da UFPel, em parceria com a Universidade Harvard e o Ministério da Saúde. Os cálculos revelaram que, se o número de mortes entre os mais idosos tivesse seguido a mesma tendência observada para os brasileiros mais jovens, seriam esperadas 70.015 mortes de pessoas de 80 anos ou mais. No entanto, foram registradas 37.401 mortes no período. Entre as pessoas de 70 a 79 anos, a expectativa de mortes era de 20.238 contra 13.838 registradas. Somando as estimativas para ambas as faixas etárias, foram evitadas as mortes de 43.082 idosos no país. “Encontramos evidências de que, embora a disseminação da variante P.1 (gama) tenha levado ao aumento das mortes por covid-19 em todas as idades, a proporção de óbitos entre os idosos começou a cair rapidamente a partir da segunda quinzena de fevereiro de 2021. Até então, essa proporção tinha se mantido estável em torno de 25% a 30% desde o início da epidemia, mas se encontra agora abaixo de 13%”, disse o epidemiologista da UFPel e líder do estudo, Cesar Victora. Ele acrescentou que as “análises de óbitos por outras causas mostram que o declínio proporcional entre os idosos é específico para as mortes por covid-19”. Os pesquisadores concluíram, portanto, que o avanço da campanha de vacinação contra a doença está associado às quedas progressivas na proporção de mortes de idosos pelo novo coronavírus no Brasil. Victora avalia que a principal contribuição do levantamento é fornecer evidências sobre a efetividade do programa de vacinação no Brasil como um todo, em um cenário onde a variante gama atualmente predomina, confirmando os achados de estudos anteriores realizados em grupos populacionais mais restritos. “Como o distanciamento social e uso de máscara estão sendo adotados de forma limitada na maior parte do país, o rápido aumento da vacinação permanece como a abordagem mais promissora para controlar a pandemia”, concluiu o pesquisador. Detalhes do estudo Para o levantamento, os pesquisadores analisaram as tendências de mortes por covid-19 e por outras causas não relacionadas ao novo coronavírus no período de 3 de janeiro a 27 de maio de 2021, com base em dados sobre óbitos e cobertura vacinal registrados pelo Ministério da Saúde. No período, o país registrou 238.414 mortes por covid-19 e 447.817 mortes por outras causas. Os resultados revelaram que número de mortes por covid-19 em todas as idades aumentou a partir do final de fevereiro em decorrência da rápida disseminação da variante gama para todo o país. Os níveis nacionais de cobertura com a primeira dose da vacina alcançaram metade dos idosos de 80 anos ou mais na primeira quinzena de fevereiro e passaram dos 80% na quinzena seguinte, com estabilidade em torno de 95% a partir de março. Os pesquisadores observaram que, em paralelo, o percentual de mortes de idosos caiu de 28% do total de óbitos por covid-19, em janeiro, para 12%, em maio, com início de queda acentuada a partir da segunda metade de fevereiro. Enquanto a proporção de mortes nesse grupo por causas não relacionadas à covid-19 permaneceu estável em quase 30% no mesmo período. Para a faixa etária de 70 a 79 anos, a cobertura vacinal com a primeira dose atingiu metade da população na última semana de março, alcançando 90% na primeira metade de maio. A proporção de mortes por covid-19 nesse grupo permaneceu em torno de 25% do total de mortes pela doença até a segunda semana de abril. A partir daquele momento, essa proporção de mortes por covid-19 começou a diminuir de forma acentuada, chegando a 16% na última semana de maio. Entre esses idosos, a proporção de mortes por outras causas permaneceu estável em torno de 20%. Ainda de acordo com o estudo da UFPel, a vacina CoronaVac representou 65,4% e a AstraZeneca/Oxford 29,8% de todas as doses administradas ao longo do mês de janeiro, enquanto as porcentagens foram de 36,5% para CoronaVac e 53,3% para AstraZeneca/Oxford no período entre meados de abril e metade de maio. Por Revista Imagem | Texto: Camila Boehm

  • Corpo de Bombeiros abre processo seletivo para contratação de engenheiros em Rondônia

    Estão disponíveis quatro vagas para as áreas de engenharia civil e elétrica. Inscrições foram abertas nesta sexta-feira. Revista Imagem - Vilhena-RO |17/06/2021 - 18:47 O Corpo de Bombeiros de Rondônia abriu um processo seletivo para a contratação temporária de engenheiros para atuarem na área de análise de Projetos de Proteção Contra Incêndios e Pânico (PPCIP). Estão disponíveis quatro vagas para engenheiros civis e eletricistas, além de 12 vagas para formação de cadastro reserva. Os candidatos selecionados serão lotados nos municípios de Porto Velho, Ji-Paraná e Vilhena. Os salários são de R$ 5,5 mil. Os contratos terão duração de três anos, podendo ser renovado pelo mesmo período. Confira o edital do processo seletivo e local para inscrição As inscrições podem ser realizadas a partir desta sexta-feira (18) pela internet por meio do preenchimento de um formulário e o envio de documentos solicitados em edital. Após a homologação das inscrições no dia 6 de julho, os candidatos serão convocados para as etapas de seleção, sendo elas: avalição de títulos e uma entrevista técnica. Por Revista Imagem | Fonte G1

  • Reforma do posto de saúde Leonardo Alves deve começar nos próximos dias

    Com estrutura em “conceito aberto”, unidade terá investimento de R$ 730 mil da Unesc. Revista Imagem - Vilhena-RO |17/06/2021 - 18:39 A reforma do posto de saúde Leonardo Alves em Vilhena deve começar nos próximos dias e tem investimento de R$ 730 mil, aproximadamente, da Unesc, como contrapartida pelo uso das unidades de saúde públicas da Prefeitura para o curso de Medicina da faculdade. O projeto prevê substituição de toda a cobertura por estrutura metálica, colocação de telhas termo-acústicas e forro em placa de gesso. Será também trocado o piso, bem como promovida ampliação para adequação às normas da Agevisa. Um pequeno auditório será construído para treinamentos e reuniões das equipes da unidade, além de realizadas correções em instalações hidráulicas e elétricas, incluindo construção de nova fossa, novo sumidouro e implantação de projeto completo de prevenção e combate de incêndio. Está prevista também a pintura interna e externa, requalificação urbanística do local com nova fachada, transformando a estrutura do postinho de saúde em um conceito arquitetônico aberto, sem muros na frente, com gramado na frente unidade, de maneira a promover maior integração da comunidade com o posto de saúde. Ao mesmo tempo, todas as portas estarão protegidas, haverá cerca elétrica e paisagismo semelhante à unidade Afonso Mansur. O médico Jânio Marques Vieira, da Secretaria Municipal de Saúde, informa que a unidade vai se tornar uma unidade básica de saúde acadêmica/escola. “Praticamente todos os projetos (elétricos, arquitetônicos, de engenharia e outros), feitos pela Secretaria Municipal de Planejamento, estão prontos e de posse da faculdade. Faltam apenas ajustes técnicos do projeto hidrossanitário, que envolvem estruturas para água de consumo, esgoto, água pluvial (calhas) e drenagem de ar-condicionado. A previsão da Semplan é que tudo fique pronto dentro de uma semana e a obra possa começar”, garante o médico. Assim que essas etapas finais do projeto hidrossanitário estiverem prontas, a Unesc garantiu que dará início imediato à obra. A faculdade, que já está de posse das chaves do prédio, contratou uma empresa que está já à disposição para iniciar a obra. De acordo com José Aparecido, coordenador da Atenção Básica, a unidade possui quatro equipes de saúde familiar, sendo também atendida pelo programa Mais Médicos. “Com a reforma haverá uma melhor adequação do espaço utilizado pelos pacientes. Favorece a população da região, promovendo maior proximidade entre equipe de saúde e moradores. Assim, facilita o acesso aos programas de saúde básica, além de desafogar outras unidades e hospital”, explica. O coordenador explica também que buscará junto à Unesc a possibilidade de vedar o espaço com novos tapumes devido à ação de vândalos no interior do prédio público. No entanto, a solução definitiva virá nos próximos dias com o início da reforma, derrubada do muro e começo, de fato, das obras no espaço. Por Revista Imagem | Fonte Semcom

  • Prefeitura assina contrato para pavimentação em três bairros de Vilhena

    Aprovação do Governo Federal deve acontecer nos próximos dias para licitação de asfalto no Jardim Social, Cidade Nova e Jardim Universitário. Revista Imagem - Vilhena-RO |17/06/2021 - 18:36 Faltam pouquíssimas etapas para que a pavimentação dos bairros Jardim Social, Cidade Nova e Jardim Universitário aconteça. Nesta semana o prefeito Eduardo Japonês deliberou com o Governo Federal por meio de videoconferência em seu gabinete e assinou contrato do Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento). Agora, com a aprovação do projeto de engenharia nos próximos dias, ficará a cargo da Prefeitura providenciar a liberação orçamentária e licitar a obra. Assim, técnicos da Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan) revelam que a expectativa é que as obras comecem já neste ano. “A assinatura do contrato é a última etapa da adesão ao Finisa, que passou primeiro por carta consulta, análise de risco, análise técnica, aprovação da Caixa e compliance, bem como outras revisões causadas pela pandemia. Adequamos tudo e demos prioridade aos projetos de asfaltamento que já estavam por sair. Agora é questão de alguns dias para que possamos tramitar novamente o processo na Prefeitura e, em poucas semanas, licitar”, explica o prefeito Eduardo Japonês. O valor do contrato assinado nesta semana foi de R$ 25 milhões, sendo cerca de R$ 20 milhões para o asfaltamento dos três bairros, num total de 15,5 km, e mais R$ 5 milhões para dar andamento nas obras de esgotamento sanitário na cidade. De acordo com a secretária municipal de Planejamento, Sueli Magalhães, a celeridade nos projetos é a marca desta gestão. “Desde a elaboração, contratação, aprovação e execução, estamos imprimindo um ritmo acelerado nestes projetos de infraestrutura. Muitos técnicos nossos não têm descanso, é um trabalho realmente grande. Assim, com os constantes pedidos de agilidade do prefeito Eduardo, fazemos tudo pensando na comunidade que precisa muito dessa pavimentação”, garante a secretária. TRECHOS CONTEMPLADOS Dos cerca de R$ 20 milhões de investimento, R$ 4,2 milhões são contrapartida do Município. Serão contempladas as ruas 1001, 5201, 5206, 5204, 5202-1006, 2509, 2507, 2505, 2503, 2511, 2513, 2515, 2517, 2519, 2521, 2523, 2525, 2527, 2529, 2531, 2533, 2535, 23, Maria Luiza Berça (2502), José Travalon (2506) e Regina Abrão (25). Além disso as avenidas 2506, Rotary Club (02) e Aline Almeida (2504) também receberão asfalto, assim como as travessas 01, 03, 04, 05 e 06. Por Revista Imagem | Fonte Semcom

  • Sem festas: Vilhena não acompanha decreto estadual e mantém restrições

    Governo do Estado e Prefeitura não se entendem mais uma vez. Município diz que manterá regras sanitárias por pelo menos mais 10 dias. Revista Imagem - Vilhena-RO |17/06/2021 - 09:09 Após análise do cenário epidemiológico local, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e a Vigilância Sanitária recomendaram, e o Gabinete do Prefeito acatou, a decisão de manter o decreto municipal em vigor, sem flexibilização. A Prefeitura de Vilhena informa que manterá as restrições pelo menos durante os próximos 10 dias, conforme pontua o decreto estadual e também em respeito ao Ministério Público de Rondônia em Vilhena, que recentemente recomendou que fossem adotadas medidas restritivas, atualmente em vigor pelo decreto municipal n° 52.775. De acordo com a enfermeira e secretária municipal de Saúde, Siclinda Raasch, Vilhena tem operado com a UTI acima de 90% nos últimos 12 dias e a flexibilização poderá agravar a situação na Central de Atendimento à Covid-19. “Após emissão de nova portaria pela Secretaria de Estado de Saúde, com a reclassificação dos municípios nos próximos dias, faremos um amplo debate sobre o caminho a ser tomado em reuniões do Comitê de Enfrentamento e buscar caminhos de garantir segurança a todos, que passa pela prevenção de cada um”, garante a secretária. O prefeito Eduardo Japonês comenta o difícil equilíbrio entre sanções e flexibilizações. “Fico triste cada vez que nos vemos nesse impasse. Em Vilhena estamos observando que o número de casos ainda não está em um patamar de tranquilidade, e o Ministério Público fez análise completa disso em sua recomendação recente. Ao mesmo tempo, temos feito esforços para que a transmissão reduza. Tomamos recentemente várias medidas, como testagem em massa, ampliação da vacinação, melhora na logística do Ambulatório e promovendo mais materiais de conscientização. Precisamos observar por mais tempo a evolução da pandemia no município antes de retomarmos nossa vida ‘normal’”, explica o prefeito Eduardo Japonês. Está em vigor atualmente em Vilhena o decreto municipal nº 52.775, de 9 de junho de 2021, disponível no link: www.bit.ly/decretocovid19vilhena. A Procuradoria Geral do Município explica que sempre que houver duas regras sobre o mesmo tema, no caso uma estadual e outra municipal, prevalece para os órgãos de fiscalização aquela que for mais rígida, independente da autoria. O município tem ainda normas em vigor sobre a prática de esportes, no decreto municipal n° 52.557, de 11 de maio de 2021 (disponível na página 6 do Diário Oficial), alterado posteriormente pelo decreto municipal nº 52.801/2021 (disponível na página 5 do Diário Oficial). Por Revista Imagem | Fonte Semcom

  • Setur se reúne com municípios para desenvolver a pesca esportiva em Rondônia

    Os municípios de Cabixi, Pimenteiras e Alta Floresta do Oeste integram o pólo 6 do Mapa do Turismo de Rondônia. Revista Imagem - Vilhena-RO |17/06/2021 - 08:22 O Governo de Rondônia, por meio da Superintendência Estadual de Turismo (Setur), vem realizando reuniões em vários municípios do Estado com o objetivo de desenvolver os pólos turísticos direcionados a pesca esportiva. Nesta semana as visitas se concentraram nas regiões do Vale do Guaporé, Zona da Mata e Rios de Rondon. De acordo com o coordenador de ações turísticas da Setur, Willian Souza do Carmo, “cada região tem suas peculiaridades. Em Cabixi, Pimenteiras e Alta Floresta do Oeste integram o pólo 6 do Mapa do Turismo de Rondônia, de acordo com o Programa Viva Rondônia adotado pelo Governo do Estado para desenvolver as ações de turismo em Rondônia, o foco é a pesca esportiva“, destacou o coordenador. TEMPORADA DE PESCA A pesca esportiva é também conhecida como “pesca de lazer”. A temporada atrai para Rondônia muitos turistas de todo país e do exterior, focados na aventura de capturar os grandes peixes dos rios da Amazônia. O Guaporé é um dos principais rios do Estado, na fronteira com a Bolívia. Mas temos também o Mamoré e o Madeira, ideais para pesca esportiva. No caso do Vale do Guaporé, “alguns municípios já vem desenvolvendo o trade turístico para atender os turistas que visitam Rondônia, com barcos-hotéis que oferecem todo conforto para uma imersão completa. No município de Cabixi, especificamente, os turistas têm a disposição a Vila Neide , que dispõe de hotéis, pousadas e estrutura de barco para receber os turistas interessados na pesca esportiva”, garante o coordenador da Setur. Mas a Superintendência busca também desenvolver outros municípios da região como Pimenteira e Alta Floresta do Oeste, onde fica o distrito de Porto Rolim, com forte potencial e estrutura para o turismo de pesca. Essa valorização faz parte do quarto passo da Cartilha Viva Rondônia, “com apoio aos empresários para desenvolver também o turismo interno com incentivo aos servidores públicos do Estado, por meio do “Viaja Mais Servidor”. Os municípios são convidados a participar construindo ações para fortalecer a cadeia de incentivo ao turismo em Rondônia”, salienta. Mas Souza do Carmo também destaca que outras regiões de Rondônia que integram o mapa do turismo da pesca esportiva no Estado. “Porto Velho, por exemplo, é a única capital do país com potencial para pesca esportiva, tendo em vista que ao sair do aeroporto, em menos de 20 minutos o turista já chega ao rio Madeira, que tem toda a estrutura para a pesca”, complementa ressaltando que Porto Velho Sport Fishing vem trabalhando essa valorização. O rio Madeira conta com mais de 800 espécies de peixes catalogadas. PESCA ESPORTIVA Já ficou claro que a diversidade de peixes é uma característica marcante nos rios da nossa região. No Vale do Guaporé são encontrados cardumes de cachorra, cacharas, apapás, pacus, tambaquis, pirapitingas, matrinchãs, corvinas, piaus, pirararas e tucunarés, um dos peixes mais amados pelos pescadores amadores. Qualquer época do ano é propícia a conhecer o Vale do Guaporé, mas entre os meses de dezembro e maio, quando é inverno na região, é a época certa para pescar a corvina e o apapá. No restante do ano, faz muito sol e o nível das águas começa a baixar. Diversas praias surgem e a temporada fica ótima para pescaria. Durante a seca, chama atenção a abundância de tucunaré nas baías e remansos do rio. Além disso, o Guaporé é um dos poucos rios brasileiros que ainda abrigam grandes tambaquis e pirapitingas. PRESERVAÇÃO Ao falar de pesca esportiva, é impossível não falar de preservação. As linhas de pesca sempre são escolhidas pensando em tipos específicos de pescaria. Para quem utiliza as linhas de monofilamento, costumeiramente feitas em nylon, é importante saber que esse material também pode ser inteiramente reciclado, até por ser de alta resistência e levar muito tempo para se desintegrar se for descartado incorretamente. No caso das iscas, muitas são feitas de silicone que não é um material biodegradável, por isso, precisa ser descartado em local adequado. O uso da chumbada deve ser evitada, na maioria das vezes, por ser fabricada com chumbo, o material é altamente tóxico, o que pode causar danos a vida aquática. A orientação é utilizar acessórios sem o metal. Isso vai garantir a preservação das épocas para as próximas temporadas. Por Revista Imagem | Texto: Andréia Fortini

  • Covid-19: Governo de RO define estratégias de vacinação com 52 municípios

    Foi proposto aos representantes dos municípios, a vacinação dos trabalhadores da Educação com o imunizante da farmacêutica Janssen. Revista Imagem - Vilhena-RO |17/06/2021 - 08:11 A continuidade da vacinação contra a covid-19 dos grupos prioritários elencados no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19 (PNO) e início da vacinação da população geral de 59 a 18 anos de idade foram temas discutidos durante a 5ª reunião ordinária da Comissão Intergestores Bipartite de Rondônia (CIB), na manhã desta quinta-feira (17), no Rondon Palace Hotel, em Porto Velho. O evento foi aberto oficialmente pelo gestor da Secretaria de Estado da Saúde, Fernando Máximo, que juntamente com técnicos da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), debateu com representes das Secretarias de Saúde dos 52 municípios rondonienses sobre as estratégias adotadas para viabilizar a vacinação contra a covid-19, bem como a transparência dos dados para a população. Durante o evento, como ações da Agevisa foi proposto aos representantes da Saúde nos municípios, a vacinação dos trabalhadores da Educação com o imunizante da farmacêutica Janssen, além de reforçar a necessidade de maior agilidade e transparência no Estado relativa à campanha nacional de vacinação contra a covid-19 dos grupos prioritários previstos no PNO. “Dar transparência aos dados tem sido uma de nossas maiores dificuldades, no entanto hoje os municípios trouxeram todas as principais dificuldades que enfrentam para que possamos reverter essa situação”, disse Edilson Silva, diretor executivo da Agevisa. O coordenador de Imunização da Agevisa, Ivo Barbosa explicou que os critérios para informar o percentual de vacinados deve considerar o público prioritário e não a população geral de Rondônia, descrita no IBGE. “As últimas remessas recebidas da vacina, por exemplo, foram para atender público com comorbidades. Pode acontecer de um município ter maior população que outro, mas ter um grupo inferior de pessoas com comorbidades e por isso receber uma quantidade menor de vacinas para esse público. Isso já é mapeado pelo Ministério da Saúde, não é a Agevisa que define”, detalhou. Barbosa também sanou dúvidas relacionadas à aplicação das doses. “Quando o Ministério da Saúde envia a segunda dose é preciso que o município fique atento à que pauta pertencia à primeira dose, quando foi definido o público vacinado”, destacou. O secretário da Sesau, Fernando Máximo conduziu a reunião e orientou os representantes dos municípios a seguirem o atendimento aos públicos previstos no PNO. “Não é adequado somente que se baixe a faixa etária para os atendimentos, é preciso cumprir a sequência do público indicada pelo Ministério da Saúde e ter o cuidado minucioso quanto à reserva das segundas doses, para evitar transtornos futuramente”. GRUPOS PRIORITÁRIOS Em Rondônia atualmente estão sendo contemplados os seguintes grupos prioritários: pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas, pessoas com deficiência permanente, forças de segurança e salvamento e forças armadas (restrita aos profissionais nas ações de combate a covid-19) e trabalhadores de transporte aéreo. No entanto, devido a importantes impactos ocasionados na Educação, inclusive aos grupos sociais menos favorecidos e que tem por exemplo, dificuldade ou mesmo inviabilidade para a adesão ao ensino à distância, está sendo apresentada a proposta de antecipar a vacinação dos profissionais que atuam neste seguimento. Para o grupo de trabalhadores da Educação deve ser seguida a seguinte ordem de prioridade: creches, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, ensino profissionalizante e Educação de Jovens e Adultos (EJA) e na sequência, os trabalhadores da Educação do ensino superior. Ao mesmo tempo, será iniciada a vacinação da população geral (18 a 59 anos), de maneira escalonada e por faixas etárias decrescentes até o atendimento geral da população acima de 18 anos. Os municípios que não apresentam demanda ou tenham demanda diminuída para vacinação dos grupos com maior vulnerabilidade e trabalhadores da Educação poderão pactuar em CIB, a adoção imediata da estratégia de vacinação segundo a faixa etária em ordem decrescente de idade garantindo o percentual para continuidade da vacinação dos demais grupos prioritários. Por Revista Imagem | Texto: Mineia Capistrano