Brasil registra mais de 52 mil novos casos e 1.274 mortes por covid-19

Total de infecções chega a 3.109.630, e o de óbitos sobe para 103.026, segundo autoridades de Saúde

Revista Imagem - Publicado em 12/08/2020 07:40


O Brasil registrou mais 52.160 casos confirmados de covid-19 e 1.274 mortes em 24 horas, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Ministério da Saúde divulgados nesta terça-feira (12/08). O balanço eleva o total de infecções para 3.109.630 e o total de óbitos para 103.026.


Diversas autoridades e instituições de saúde alertam, contudo, que os números reais devem ser ainda maiores, em razão da falta de testagem em larga escala e da subnotificação.


Ao todo, 2.243.124 pacientes se recuperaram da doença, e 763.480 estão em acompanhamento, segundo o Ministério da Saúde. O Conass não informa número de recuperados.


São Paulo é o estado brasileiro mais atingido pela epidemia, com 639.562 casos e 25.571 mortes. O número de infectados no território paulista supera até os registrados na maioria dos países, sendo menor apenas do que o contabilizado nos Estados Unidos (5,1 milhões), Índia (2,2 milhões) e Rússia (895 mil).


A Bahia é o segundo estado brasileiro com maior número de casos, somando 198.767, e o sexto em número de mortos, com 4.067 vítimas. Já o Ceará tem 190.550 infecções e 8.011 óbitos, o que o coloca atrás do Rio de Janeiro (com 182.563 infecções e 14.212 óbitos) como o terceiro estado com mais mortes.


Segundo o Conass, a taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes é atualmente de 49 no Brasil – cifra bem acima da registrada em países vizinhos como a Argentina (10,71) e o Uruguai (1,07), considerados exemplos no combate à pandemia. Por outro lado, nações europeias duramente atingidas, como o Reino Unido (70,10) e a Bélgica (86,49), ainda aparecem bem à frente.


Nesta terça-feira, a biofarmacêutica alemã CureVac anunciou que pretende testar sua vacina contra o coronavírus Sars-CoV-2 em voluntários brasileiros. No momento, o Brasil é um dos maiores "laboratórios" de testagem de vacinas contra o coronavírus no mundo por causa da alta incidência da doença. Três vacinas já estão sendo testadas no país. Uma delas é da empresa AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, e outra, da chinesa Sinovac.


Já o governo do Paraná anunciou que pretende assinar um convênio com a Rússia para a produção de vacina, que foi aprovada por Moscou, mas é questionada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).


Em números absolutos, o Brasil é o segundo país do mundo com mais infecções e mortes por coronavírus, atrás apenas dos Estados Unidos, que já acumulam mais de 5,1 milhões de casos e mais de 164 mil óbitos.

Atrás de EUA e Brasil, os países mais atingidos são Índia (2,2 milhão de casos confirmados), Rússia (895 mil) e África do Sul (566 mil).


Ao todo, mais de 738 mil pessoas morreram em decorrência do vírus no planeta. Depois de EUA e Brasil, os maiores números absolutos de mortes se concentram no México (53 mil), Reino Unido (46mil) e na Índia (45 mil).

Por Deutsche Welle

Russi 1
Brandão 3
Expressa 3
Recco 1
CNA 1
Souza 1
Informe erro na matéria ou
envie sua sugestão de notícia

Mensagem enviada com sucesso! Entraremos em contato se for o caso.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS