Fazendas são invadidas em Vilhena e casos são levados à Polícia Civil

Em uma das fazendas, já existe decisão de reintegração de posse, que não foi cumprida devido ao Covid-19

Revista Imagem | 28/05/2020 09:43 | Por Redação

Atualizada em 28/05/2020 15:19

Na última terça-feira (26), duas ocorrências de esbulho possessório foram registradas na Unidade Integrada de Segurança Pública (UNISP) de Vilhena e a Polícia instaurou inquéritos policiais para medidas cabíveis.

No primeiro caso, registrado por volta das 12h20, o advogado do proprietário da fazenda Vilhena, localizada na linha 85, lote 62, área rural de Vilhena procurou a UNISP, narrando que no domingo fora constatado que os marginais que invadiram a fazenda derrubaram  dois quilômetros de cerca. O advogado lembrou ainda que já existe uma decisão judicial que determina a reintegração de posse da área invadida, porém, não foi executada pela Polícia Militar e forças policiais até o presente momento devido a pandemia do Covid-19.

No segundo caso, registrado por volta das 16h50, o fazendeiro Valdemir C. da S, procurou a UNISP relatando que comprou a fazenda Canário, localizada no quilômetro 97 da BR-364, área rural de Vilhena no último dia 11 de Março de 2.020 e que no dia 22 de Maio foi até o local para tomar posse do local e constatou que a área estava invadida por sem terras. A Polícia Civil instaurou inquérito policial para apurar os dois casos e dar seguimento as investigações, para que a denúncia seja oferecida à Justiça. Se aceitar a denúncia, o juiz da ação deverá emitir mandados de reintegração de posse aos proprietários verdadeiros e punir os invasores.

Fonte: Rota Policial News

Russi 1
Brandão 3
Expressa 3
Recco 1
CNA 1
Souza 1
Informe erro na matéria ou
envie sua sugestão de notícia

Mensagem enviada com sucesso! Entraremos em contato se for o caso.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS