Brasil se aproxima de 100 mil mortes e tem mais 2,96 milhões de casos de covid-19

Mais 1.079 óbitos foram registrados nas últimas 24 horas, elevando total para mais de 99 mil

Revista Imagem - Publicado em 07/08/2020 22:36

Brasil registrou mais 50.230 casos confirmados de covid-19 em 24 horas


Mais 1.079 óbitos foram registrados nas últimas 24 horas, elevando total para mais de 99 mil. Casos da doença passam de 2,96 milhões, após a notificação de mais 50 mil diagnósticos com resultado positivo.


O Brasil registrou mais 50.230 casos confirmados de covid-19 e 1.079 mortes em 24 horas, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Ministério da Saúde divulgados nesta sexta-feira (07/08). O balanço eleva o total de infecções para 2.962.442 e o total de óbitos para 99.572.

Diversas autoridades e instituições de saúde alertam, contudo, que os números reais devem ser ainda maiores, em razão da falta de testagem em larga escala e da subnotificação. 

Ao todo, 2.068.394 pacientes se recuperaram da doença, e 794.476 estão em acompanhamento, segundo o Ministério da Saúde. O Conass não informa número de recuperados. São Paulo é o estado brasileiro mais atingido pela epidemia, com 608.379 casos e 24.735 mortes. O número de infectados no território paulista supera os registrados na maioria dos países do mundo, sendo menor apenas do que o contabilizado na Rússia (875 mil), na Índia (2 milhões) e Estados Unidos (4,9 milhões).


A Bahia é o segundo estado brasileiro com maior número de casos, somando 187.892, e o sexto em número de mortos, com 3.843 vítimas. Já o Ceará tem 185.409 infecções e 7.921 óbitos, o que o coloca atrás do Rio de Janeiro (com 175.696 infecções e 14.023 óbitos) como o terceiro estado com mais mortes.


Além São Paulo, Bahia, Ceará e Rio de Janeiro, outros seis estados e o Distrito Federal registraram mais de 100 mil casos. São eles: Pará, Minas Gerais, Maranhão, Amazonas, Pernambuco e Santa Catarina.


Segundo o Conass, a taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes é atualmente de 47,4 no Brasil. Apesar de estar subindo nas últimas semanas, a cifra ainda é menor do que a registrada em nações europeias duramente atingidas, como o Reino Unido (69,9), a Bélgica (86,3) e a Espanha (61).


Em números absolutos, o Brasil é o segundo país do mundo com mais infecções e mortes por coronavírus, atrás apenas dos Estados Unidos, que já acumulam mais de 4,9 milhões de casos e mais de 160 mil óbitos. Atrás de EUA e Brasil, os países mais atingidos são Índia (2,02 milhões de casos), Rússia (875 mil) e África do Sul (538 mil).


Ao todo, mais de 726 mil pessoas morreram em decorrência do vírus no planeta. Depois de EUA e Brasil, os maiores números absolutos de mortes se concentram no México (50 mil), Reino Unido (46,5 mil), e na Índia (41 mil).


A América Latina ultrapassou a Europa nesta sexta-feira no número de mortes por covid-19. A região registrou ao todo 213.120 óbitos pela doença, 460 a mais do que na Europa, de acordo com o levantamento da agência de notícias AFP.


As previsões para os Estados Unidos indicam um cenário sombrio. Especialistas da Universidade de Washington acreditam que a epidemia de covid-19 deve matar aproximadamente 300 mil americanos até dezembro deste ano. Os pesquisadores afirmam, porém, que 70 mil vidas podem ser salvas se o uso de máscaras for respeitado.

Na Europa, diversos países que haviam controlado a pandemia vem registrando aumento no número de casos. Para tentar conter a propagação da doença, a Alemanha tornou obrigatório o teste para a covid-19 para todos os viajantes que chegarem de regiões consideradas de alto risco por conta da pandemia do coronavírus. A medida entra em vigor a partir deste sábado (08/08). O exame será gratuito.

Por Deutsche Welle


Russi 1

Brandão 3

Expressa 3

Recco 1

CNA 1

Souza 1

Informe erro na matéria ou
envie sua sugestão de notícia

© Copyright 2020 

Gráfica e Editora Expressa Ltda.

  • Ícone do Facebook Branco