Brasil registra mais de mil mortos pela covid-19 em 24 horas, após 6 dias de baixa

Foram registrados ainda mais de 35 mil novos casos. Ao todo, 4,19 milhões de pessoas foram infectadas, e 128 mil morreram.

Revista Imagem - Publicado em 10/09/2020 07:09


O Brasil registrou 35.816 casos confirmados de coronavírus e 1.075 mortes ligadas à doença nas últimas 24 horas, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (09) pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e pelo Ministério da Saúde.


O balanço eleva o total de infectados para 4.197.889, enquanto o total de óbitos chega a 128.539. Ao todo, 3.453.336 pessoas se recuperaram da doença, e 616.014 estão em acompanhamento, segundo o ministério. O Conass não divulga número de recuperados.


Assim, de acordo com a nova cifra diária, o Brasil voltou a registrar mais de mil mortes em 24 horas, após seis dias consecutivos computando no máximo 907 óbitos diariamente. O país não ficava tantos dias seguidos sem registrar mais de mil mortos desde maio.


Diversas autoridades e instituições de saúde alertam que os números reais de casos e mortes devem ser ainda maiores, em razão da falta de testagem em larga escala e da subnotificação.


São Paulo é o estado brasileiro mais atingido pela epidemia, com 866.576 casos e 31.821 mortes. O total de infectados no território paulista supera os registrados em praticamente todos os países do mundo, exceto Estados Unidos (6,33 milhões), Índia (4,37 milhões) e Rússia (1,03 milhão). Ou seja, se São Paulo fosse um país, seria o quinto mais afetado.


A Bahia é o segundo estado brasileiro com maior número de casos, somando 275.088, seguida de Minas Gerais (238.515), Rio de Janeiro (233.873) e Ceará (223.622).


Já em número de mortos, o Rio é o segundo estado com mais vítimas, somando 16.770 óbitos. Em seguida vêm Ceará (8.604), Pernambuco (7.764), Pará (6.280), Minas Gerais (5.935) e Bahia (5.774).


A taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes subiu para 61,2 no Brasil – cifra bem acima da registrada em países vizinhos como Argentina (23,38) e Uruguai (1,30). O número brasileiro também supera o dos Estados Unidos, o país mais atingido do mundo, que tem taxa de mortalidade de 57,97.


Por outro lado, nações europeias duramente atingidas, como Reino Unido (62,68) e Bélgica (86,78), ainda aparecem à frente, embora suas taxas estejam praticamente estabilizadas, enquanto a brasileira segue crescendo.


Em números absolutos, o Brasil é o terceiro país do mundo com mais infecções, atrás apenas dos Estados Unidos, que somam 6,33 milhões de casos, e da Índia, com 4,37 milhões. Mas é o segundo em número de mortos, depois dos EUA, onde mais de 189 mil pessoas morreram pela covid-19.


A Índia, que chegou a impor uma das maiores quarentenas do mundo no início da pandemia e depois flexibilizou as restrições, é a terceira nação com mais mortos, somando 73,8 mil óbitos.


Ao todo, o mundo já registrou mais de 27,6 milhões de pessoas infectadas pelo coronavírus, enquanto mais de 898 mil morreram em decorrência da doença.

Por Deutsche Welle

Russi 1

Brandão 3

Expressa 3

Recco 1

CNA 1

Souza 1

Informe erro na matéria ou
envie sua sugestão de notícia

© Copyright 2020 

Gráfica e Editora Expressa Ltda.

  • Ícone do Facebook Branco