Barreira sanitária já identificou pelo menos 7 casos de covid-19 na rodoviária

Profissionais de Saúde já avaliaram mais de 27 mil viajantes no terminal rodoviário de Vilhena desde 3 de abril

Revista Imagem - 26/06/2020 18:58


Com quase 90 dias de funcionamento a barreira instalada na rodoviária pela Prefeitura de Vilhena já avaliou mais de 27 mil pessoas. Os profissionais de Saúde registram dados dos pacientes, conferem temperatura, analisam histórico de viagem e dão orientações de prevenção à covid-19.


De acordo com a coordenadora da ação, Arlete Alves Toledo, a barreira foi instalada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus) em parceria com a Vigilância Sanitária no terminal rodoviário da cidade no dia 3 de abril e desde então agiliza possíveis diagnósticos do novo coronavírus em viajantes que desembarcam ou embarcam no município. Até o momento, sete pessoas já foram identificadas como casos positivos para a covid-19 através da barreira.


“Aqui nós trabalhamos com muito cuidado. Quando o passageiro desembarca, antes de qualquer coisa, ele deve se apresentar na barreira. No local é preenchido uma ficha com nome e telefone, para possível monitoramento. Nós questionamos de onde o passageiro vem, se vai ficar no município e se vai seguir viagem. Além de aferir a temperatura de todos, nós também orientamos os viajantes sobre as medidas de prevenção”, destaca Arlete.


A coordenadora destaca que os sintomáticos são encaminhados para uma sala especial de atendimento isolado. O objetivo é que essas pessoas fiquem sem circular no terminal, para evitar a disseminação do vírus caso estejam infectadas. Além disso, todos os passageiros que desembarcam em Vilhena recebem a orientação de cumprir isolamento domiciliar por 14 dias, que é o tempo máximo de incubação do vírus.


De acordo com o secretário municipal de Saúde, Afonso Emerick, a barreira começou por meio de plantões mas já funciona 24 horas com técnicos de enfermagem e enfermeiros. “Para atender os passageiros, os servidores da Saúde do município usam equipamentos de proteção individual para evitar possível contágio, como máscaras, avental, toucas e faceshields (protetores faciais), além de terem à disposição métodos de assepsia e higienização para mãos e utensílios. Com o termômetro infravermelho é possível também aferir a temperatura dos pacientes sem que o profissional de saúde tenha contato com o passageiro”, explica.



Para orientar a população em relação ao vírus, foram feitas marcas no chão indicando o distanciamento necessário de uma pessoa para a outra. Nas grades de proteção, avisos alertam para a proibição de tocá-las. Faixas de isolamento indicam o caminho da barreira onde o passageiro deverá passar antes de qualquer circulação no terminal.


Depois de identificado um caso suspeito, a equipe orienta que o passageiro vá até a unidade básica de saúde mais próxima de sua residência, para que passe por uma avaliação médica, onde já deverá sair com um encaminhamento para realizar o exame que vai confirmar ou não a doença, bem como receita de remédios, atestado ou encaminhamento para internação, conforme avaliação do médico. A partir da consulta, o postinho monitora o paciente com contatos a cada 24 horas em casos graves e a cada 48 horas em casos leves da doença. Esse método faz parte do novo protocolo de enfrentamento da pandemia da Saúde em Vilhena.

Por Revista Imagem / Assessoria


Russi 1
Brandão 3
Expressa 3
Recco 1
CNA 1
Souza 1
Informe erro na matéria ou
envie sua sugestão de notícia

Mensagem enviada com sucesso! Entraremos em contato se for o caso.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS